Notícias

Briga política vira obstáculo para construção da linha 2 do metrô de Belo Horizonte

Por Júnior Moreira/Itatiaia , 03/08/2020 às 07:47
atualizado em: 03/08/2020 às 12:35

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Rômulo Ávila/Itatiaia
Rômulo Ávila/Itatiaia

Uma briga política fez a futura construção da linha 2 do metrô de Belo Horizonte (Barreiro – Calafate) voltar alguns passos . O dinheiro que era certo para as obras, agora não é mais. 

A multa paga pela mineradora Vale que viria diretamente para os cofres de Minas,estado responsável pela execução da obra, foi parar nos cofres da união. Com o recurso na conta do governo federal, a situação se complicou e um novo acordo terá que ser feito, como explica o senador Carlos Viana (PSD). 

"Nós passamos por um processo de desunião, em que prefeituras do interior de Minas e também do Rio de Janeiro questionaram junto ao Ministério Público Federal qual o critério para que Belo Horizonte recebesse R$ 1,2 bilhão e as prefeituras não fossem contempladas de alguma maneira. O Ministério Público fez, portanto, um questionamento ao Ministério da Infraestrutura, responsável pelo acordo, e o ministro Tarcísio de Freitas, diante da possibilidade que a questão se tornasse uma disputa judicial, fez com o que o dinheiro esteja sendo encaminhado todo ao tesouro nacional”, disse o senador.

Carlos Viana informa que a vale pagou cinco parcelas, totalizando R$ 100 milhões. “Esse dinheiro já foi para o caixa único do tesouro. Tirá-lo de lá é uma dificuldade muito grande, porque tem que passar pelo orçamento da União, isso tem que ter toda uma aprovação, um trabalho conjunto e se tornou muito mais difícil dessa maneira”.

Após voltar à estaca zero, a bancada mineira no Congresso, que luta pela volta do dinheiro, espera que um novo acordo possa colocar o dinheiro novamente em uma conta específica para o metrô de Belo Horizonte. Para isso, precisará de uma composição entre Ministério da Economia e Tribunal de Contas da União, para evitar um problema jurídico.

Além do acordo, que pode fazer com que o dinheiro volte, e o possível financiamento da obrar pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES,) há uma terceira possibilidade: o valor ser colocado no orçamento do ano de 2021. 
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link