Edilene Lopes

Coluna da Edilene Lopes

Veja todas as colunas

Assembleia paralisa discussão da reforma da Previdência e avisa que não cumprir prazo

08/07/2020 às 04:45

A Assembleia Legislativa vai atrasar a votação da reforma da Previdência e não vai votar a proposta até o dia 31 de julho, conforme prevê portaria do governo federal. O anuncio acaba de ser feito pelo presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Agostinho Patrus (PV), que informou que o governo do estado já foi acionado para que solicite ao governo federal o relaxamento do prazo para a votação. 

Participação popular 

Nesta quarta-feira, servidores lotaram a porta da ALMG em protesto contra a reforma da Previdência, não apenas em relação ao conteúdo, mas da falta de debate e do fato de o governo não ter ouvido o funcionalismo para construir o texto. O presidente, Agostinho Patrus, anunciou um webinar, seminário virtual, que deve ocorrer na terça, quarta e quinta-feira da semana que vem para ouvir as entidades que representam as categorias. 

Previsão de votação 

Segundo o deputado Agostinho Patrus, a votação deve ser feita na primeira quinzena de agosto, depois que os servidores forem ouvidos e que “pontos nebulosos” forem esclarecidos. O recesso parlamentar, que seria 18 de julho, a princípio, está suspenso. A tramitação, a partir desta quarta-feira, foi interrompida, para que as discussões com os servidores sejam iniciadas. O projeto deve ser votado com alíquota, tempo de contribuição e idade mínima. Não deve haver um novo fatiamento. A reforma já foi desmembrada uma vez na casa, separando a questão previdenciária da administrativa. 

Sem novo secretário 

E no executivo, dois meses depois de o secretário estadual de meio ambiente, Germano Vieira, ter comunicado ao governador Romeu Zema a intenção de se desligar do cargo, até hoje não foi escolhido um substituto. Germano, que alegou motivos pessoais para saída, se disponibilizou a ficar à frente da pasta até que fosse definido um novo nome. No entanto, após cogitar diversas possibilidades, o executivo ainda não fez a escolha. Na lista estão a diretora-geral do Instituto de Gestão das Águas (Igam), Marília Carvalho de Melo, o diretor do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Antônio Malard, e o secretário municipal de Meio Ambiente de Betim, Ednard Barbosa de Almeida.

Também foi cogitado Antônio Claret, diretor-geral da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado (Arsae), que preferiu ficar à frente da agência.

Angu de caroço 

Nos bastidores, a conversa é de que ninguém quer pegar o “pepino”, já que seria difícil conciliar os interesses do governo com os anseios de servidores da pasta que são defensores mais rígidos do meio ambiente e discordam de ações consideradas pouco sustentáveis ou de baixa preservação dos recursos naturais. Internamente, a informação é de que a maior parte dos servidores da pasta, que inclusive estava em greve, abomina o favorecimento excessivo da atividade econômica em detrimento da questão ambiental e também o tipo de política adotada pelo ministro Ricardo Salles. 

Motivo da saída do secretário 

Questionada sobre o motivo do pedido de saída do secretário, uma fonte respondeu: “essa é a pergunta de um milhão de dólares”. Também há a informação de que Germano Vieira, que é servidor de carreira e está na pasta desde o governo anterior, teria recebido uma proposta do governo federal para ocupar um cargo no ministério do Meio Ambiente. Outra informação também recebida pela coluna é que Germano teria reconsiderado a decisão de sair e teria comunicado ao governo que tem intenção de ficar em definitivo. Essa informação foi confirmada pela assessoria por meio de nota. “Tendo em vista a crise de saúde pública, ocasionada pela pandemia do coronavírus, e a proximidade do pico da doença, o secretário Germano Vieira, a pedido do Governo de Minas, decidiu permanecer no cargo até que a situação se normalize”. 

ABC da Política 

Webinar – seminário online. Na teoria, é usado como sinônimo de um evento de comunicação de mão única, em que apenas o palestrante fala e as outras pessoas participam, no máximo, por chat. No entanto, na prática, o termino webinar é usado para se referir debates com a participação de várias pessoas que interagem por meio de vídeo na mesma transmissão, como se estivessem em um auditório, em um seminário presencial. 

*As definições de palavras do dia a dia da política que citamos aqui você encontra no do ABC da Política, para consulta e compartilhamento, no Instagram @reporteredilenelopes.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O Flecheiro joga o seu 101° jogo pelo Cruzeiro #itatiaia

    Acessar Link