Notícias

‘Lembre-se que sou cruzeirense’, brinca presidente do STJ sobre caso Fred na corte

Por Redação , 23/08/2019 às 08:03
atualizado em: 23/08/2019 às 10:41

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, disse que não será ele que julgará o pedido feito pelo Atlético para que a corte defina quem tem a competência para julgar o caso envolvendo a multa de R$ 10 milhões do centroavante Fred. O Atlético recorreu ao tribunal superior para saber se o caso fica no Tribunal Regional do Trabalho ou na Câmara Nacional de Resoluções de Disputas (CNRD). 

“O STJ, pela Constituição, tem a missão de solucionar os conflitos de competência e dizer qual é o foro competente”, disse em entrevista exclusiva à Itatiaia. Noronha participou nessa quinta-feira (22) da abertura do seminário “A jurisdição ambiental após Mariana e Brumadinho", promovido pela Dom Helder Escola de Direito, em Belo Horizonte.

Mineiro de Três Corações, Sul do estado, Noronha ainda avisou, em tom de brincadeira, que torce pelo time celeste. “Não posso adiantar julgamento, primeiro porque não sou eu que vou julgar esse caso. São colegas. Mas se eu tivesse que decidir, lembre-se que sou cruzeirense (risos)”. 

O caso

O imbróglio entre Atlético e Fred se desenrola desde dezembro de 2018, quando o jogador rescindiu com o clube alvinegro e assinou direto com o Cruzeiro, apesar da previsão de multa de R$ 10 milhões em caso de acerto com o clube celeste.

O Atlético acionou a CNRD, que no fim de 2018 sentenciou Fred como culpado. No entanto, Fred e Cruzeiro recorreram à Justiça do Trabalho e, em julho deste ano, o juiz Adriano Marcos Soriano Lopes, da 13ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, concedeu liminar suspendendo o processo arbitral que condenou o atacante. 

Por isso, o Atlético solicitou ao STJ que defina de quem é a competência para julgar o caso. 

No dia 14 deste mês, o ministro Ricardo Villas Bôas Cueva negou o pedido de tutela de urgência do Atlético para suspensão de forma imediata do processo. No entanto, a corte ainda vai definir quem tem a competência para julgar o caso: se o Tribunal Regional do Trabalho ou a CNRD. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link