Notícias

Juninho Paulista assume cargo de Edu Gaspar e é o novo coordenador da Seleção Brasileira

Por Redação, 08/07/2019 às 22:08
atualizado em: 08/07/2019 às 22:14

Texto:

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Campeão do Mundo em 2002 e da Copa das Confederações em 1997, o ex-jogador Juninho Paulista é o novo coordenador da Seleção Brasileira. Ele assume no lugar de Edu Gaspar, que estava no cargo desde junho de 2016 e saiu para ser diretor de futebol do Arsenal-ING.

Juninho Paulista, de 46 anos, iniciou sua passagem na CBF como diretor de Desenvolvimento do Futebol, departamento criado após a posse de Rogério Caboclo na presidência.

“Com uma felicidade muito grande que recebi esse convite. Agradeço a confiança do presidente Rogério Caboclo, é uma responsabilidade muito grande, nós sabemos o peso da camisa amarelinha. O Edu fez um excelente trabalho juntamente com toda a comissão, vamos dar sequência a esse planejamento e trabalho que está sendo feito, e buscando novas conquistas”, destacou Juninho.

Antes de entrar na CBF, Juninho Paulista estava à frente do Ituano-SP, clube no qual foi formado. O ex-jogador ajudou a reconstruir a equipe paulista. Em 2014, o time conquistou o Campeonato Paulista pela segunda vez na história e passou a figurar em competições nacionais, com destaque para a disputa das oitavas de final da Copa do Brasil, em 2015.

Juninho Paulista vestiu a camisa da Seleção Brasileira por quase uma década. Representou o Brasil em 54 oportunidades e conquistou seis títulos, com destaque para o pentacampeonato mundial em 2002 e a Copa das Confederações em 1997. Durante a carreira como jogador, atuou em equipes da elite do futebol brasileiro, como São Paulo, Vasco, Flamengo e Palmeiras. Na Europa, destacou-se na Espanha e na Inglaterra. Em 2008, foi eleito pelo jornal britânico ‘The Sun’ o melhor jogador brasileiro com passagem pelo futebol inglês.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link