Notícias

Gravidez requer cuidado ainda maior com determinados alimentos e medicamentos

Por Aline Campolina, 11/10/2019 às 11:17
atualizado em: 11/10/2019 às 11:21

Texto:

Foto: Mateus Pereira/SECOM/ Fotos Públicas
 Mateus Pereira/SECOM/ Fotos Públicas

É bastante comum as grávidas ficarem na dúvida sobre quais alimentos e medicamentos podem ser ingeridos durante a gestação. Nesta fase, qualquer comida ou remédio que possa parecer inofensivo, às vezes, pode colocar em risco tanto a vida da gestante quanto a do bebê. E mesmo os medicamentos fitoterápicos (feitos à base de ervas), os homeopáticos e florais podem causar efeitos diversos. Diante disso, é fundamental que a mulher redobre a atenção e, antes de qualquer coisa, consulte um médico.

Segundo pesquisa divulgada pela Agência Senado, 3% das malformações congênitas são provocadas por medicamentos. O ibuprofeno, um dos anti-inflamatórios mais populares, o captopril, que controla a hipertensão, além de antibióticos, anticoagulantes e até a aspirina são alguns exemplos de medicamentos que não devem ser usados durante a gravidez. Como alternativa à aspirina, os médicos aconselham o paracetamol.

No caso de mulheres que fazem algum tratamento ou utilizam remédios de uso contínuo, como para hipertensão, por exemplo, e descobrem a gravidez, a médica obstetra do Neocenter Maternidade, Vanessa Fenelon, aconselha que elas conversem imediatamente com um profissional que pode indicar outras saídas para o tratamento. “É importante que as pacientes que são hipertensas procurem um médico assim que ficarem grávidas para avaliar qual o anti-hipertensivo mais adequado”, diz a obstetra.

De acordo com a classe médica, o período mais crítico da gestação são os três primeiros meses. É durante este primeiro trimestre que o embrião passa pelo período de formação, onde há maior risco de malformação devido o maior índice de divisões celulares.

A alimentação da gestante também deve ter uma atenção especial. Diversos alimentos devem ser evitados, como o leite não pasteurizado, barras de cereais e de proteínas, refrigerantes, adoçantes e os industrializados. “Os alimentos industrializados têm alto teor de substâncias que podem causar malformações fetais”, afirma a doutora Vanessa Fenelon.

Na lista de comidas vetadas para as gestantes, a médica acrescente os peixes e outras carnes cruas. “A gestante deve ter uma alimentação equilibrada. Pacientes que são susceptíveis a toxoplasmose não devem fazer uso de carnes cruas ou mal passadas”, diz Fenelon.
 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link