Notícias

Escola Sem Partido critica Jair Bolsonaro por atividades suspensas: 'Falta de apoio'

Por Agência Estado, 20/07/2019 às 09:12
atualizado em: 20/07/2019 às 14:00

Texto:

O procurador Miguel Nagib anunciou que as atividades do Escola Sem Partido serão suspensas "por absoluta falta de apoio", a partir do dia 1.º. O líder do movimento, que diz querer "dar visibilidade" à "doutrinação" e à "propaganda ideológica, política e partidária nas escolas", divulgou nota na internet sobre sua frustração com o presidente Jair Bolsonaro. 

Nagib afirma que o movimento, surgido em 2004, é a principal referência sobre o tema no País. Contou ainda ter ficado esperançoso com Bolsonaro e "a promessa de combater a ideologia de gênero e implantar o Escola sem Partido". "Desde o início do governo de transição, não lembro de tê-lo ouvido falar em Escola sem Partido." 

Ele relatou ter se reunido com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, mas disse que o diálogo não foi satisfatório. Para Nagib, apesar de a agenda legislativa ter sido ocupada pela reforma da Previdência, o Executivo poderia ter "escutado sugestões" do movimento.

"O Escola Sem Partido já foi vitorioso. Trouxe o debate ao público", afirmou o deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP). Planalto e Ministério da Educação não se manifestaram. Propostas como a do Escola sem Partido sofrem críticas de entidades de educação e da Organização das Nações Unidas (ONU). 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link