Notícias

Após acabar com jejum, Di Santo valoriza empate do Atlético: 'Toda a equipe lutou'

Por Redação/Agência Estado, 16/11/2019 às 22:18

Texto:

Foto: Bruno Cantini / Atlético
Bruno Cantini / Atlético

O Atlético arrancou um empate por 1 a 1 diante do Fluminense, neste sábado, no Maracanã, com um gol aos 43 minutos da etapa complementar marcado por Di Santo. O jogador quebrou um jejum de sete jogos sem balançar as redes e valorizou o ponto conquistado longe de Belo Horizonte.

"No primeiro tempo eles foram melhores. No segundo tempo saímos para o jogo. Sempre é importante marcar, sempre é importante ajudar a equipe correndo, fazendo gols. Toda a equipe lutou", falou o atleta após o apito final.

A última vez que Di Santo havia balançado as redes foi na derrota por 4 a 1 para o Grêmio, no Independência. O argentino marcou o gol de honra do Galo em cobrança de pênalti.

O atacante Luan também fez uma análise do desempenho do Atlético na partida e afirmou que o Fluminense foi melhor apenas em 20 minutos do duelo. Ele também se mostrou feliz com o gol marcado por Di Santo.

"Acho que valeu pela entrega, pelo final. O Di Santo estava merecendo este gol há um tempo. E o (Vagner) Mancini foi bem nas substituições. Foi um jogo de 20 minutos do Fluminense. Eles ainda têm o jogo do Diniz, eu trabalhei com ele. Ele consegue dar essa força ao time, a atletas muitas vezes desacreditados. Durante os primeiros 20 minutos, o Fluminense foi melhor, fizeram o gol em erro nosso. Mas no segundo tempo só deu o Galo", destacou Luan.

O ponto conquistado fora de casa manteve a "gordura" na luta contra o rebaixamento. O Atlético tem 41 pontos, contra 35 do arquirrival Cruzeiro, que entrou na degola. De quebra, viu a diferença de seis pontos para o Fluminense permanecer.

"Resultado justo, óbvio que o nosso time fez um gol no fim e crescemos. A equipe deles parece ter sentido o emocional. Mas foi justo. Fluminense gosta de jogar, principalmente no Maracanã Agora é descansar e enfrentar o Athletico-PR em casa e somar os três pontos", finalizou Vinícius.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link