Rômulo Ávila

Coluna do Rômulo Ávila

Veja todas as colunas

Cruzeiro visitante explica briga contra a degola

Após 17 rodadas do Brasileirão, o Cruzeiro é o único que não venceu fora de casa.

06/09/2019 às 06:30

Divulgação CSA

Como confiar em um time que não consegue vencer fora de casa? Fiz tal questionamento nessa quarta-feira (4), antes do duelo entre Cruzeiro e Internacional, no Beira-Rio, pela semifinal da Copa do Brasil, e não deu outra: A assustadora fragilidade do Cruzeiro como visitante pesou novamente e culminou na derrota de 3 a 0 que sepultou o sonho do hepta da Copa do Brasil.

O resultado contra o Inter engrossa a lista de derrotas recentes do Cruzeiro como visitante. Na Copa do Brasil, foram duas e um empate. Porém, são os números do Brasileirão que mais reforçam a fragilidade do time celeste longe de sua torcida. Após 17 rodadas, o Cruzeiro é o único que não venceu fora de casa.

São apenas quatro pontos ganhos em 27 possíveis, aproveitamento de 15%, o pior do Campeonato Brasileiro (ao lado de Avaí, Ceará, Internacional e Fluminense). Não por acaso, com exceção do Inter, os times com desempenho ruim no quesito visitante brigam contra o rebaixamento.

Os números mostram que praticamente nada funciona no Cruzeiro quando a partida é longe de BH. O ataque marcou apenas oito gols, enquanto a defesa sofreu 18, saldo negativo de 10 gols, o pior (ao lado do Avaí) entre os 20 clubes que disputam a Série A.

Com uma partida restante fora de casa no turno da atual edição (contra o Palmeiras), o Cruzeiro pode igualar o recorde negativo de 2011, quando passou o segundo turno inteiro sem vencer como visitante. Coincidência ou não, o time celeste brigou contra o rebaixamento naquele ano até a última rodada.

O aproveitamento do Cruzeiro longe de seus domínios na edição de 2018 também pode ser considerado pífio: três vitórias, sete empates e nove derrotas. O único triunfo no returno foi conquistado sobre o América, em BH. Considerando as partidas do Brasileirão longe da capital, a última vitória ocorreu há mais de um ano: 1 a 0 sobre o Ceará, no Castelão.

O aproveitamento fora de casa é determinante para campeões e rebaixados no Campeonato Brasileiro de pontos corridos. As campanhas do próprio Cruzeiro nos anos de 2013 e 2014 confirmam o que estou dizendo. Bicampeã com sobra, a Raposa teve o melhor desempenho em campo inimigo nas duas edições. Em 2013, foram nove vitórias, quatro empates e seis derrotas em 19 partidas. No ano seguinte, venceu nove, empatou seis e perdeu quatro vezes.

Os números evidenciam que a tarefa do técnico Rogério Ceni na luta contra o rebaixamento passa pela retomada da força como visitante. Se falhar, o torcedor celeste pode preparar para sofrer até fim do Brasileirão.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Bolsonaro provoca presidente da OAB: 'Posso contar como o pai dele desapareceu' https://t.co/VL1QAuI1sI https://t.co/uO2itrIBJh

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link